sexta-feira, 26 de março de 2010

Vamos ver o que acontece.

Tenho a sensação de estar jogando palavras ao vento.
Para ter a certeza disso, farei um teste.
Ficarei sem postar nada até ter no minimo 3 comentarios neste post.
Não importa o tempo que isso seja necessario.
Foi um prazer escrever.
Até mais.

22.28 - um post honesto sem trilha sonora nem ilustrações

terça-feira, 23 de março de 2010

Comunicação...


Muito a dizer.
Ninguém a me ouvir.
O silencio é uma opção justa.
Escrever em um blog não serve de muita coisa.
Afinal, alguém lê?
E se alguem lê, será que se importa.
Eu não me importo com muitas coisas.
Algumas são importantes apenas a mim.
Não tenho porque engolir um sentimento.
Eu levanto a cabeça e grito, foda-se.
O infarto que aperta meu peito e seca minha boca,
Não me impedem de gritar mais uma vez.
Não me preocupa a sua boa moral e pureza hipócrita .
Deixe-me com minhas doenças sociais.
Eu cuido pouco da minha própria vida.
E isso me basta.
E faço minhas as palavras de Cid Moreira:
"Boa Noite"

23.00 - Confronto - Infanto

terça-feira, 16 de março de 2010


De tanto leva frechada do teu olhar
Meu peito até parece sabe o quê?
Táubua de tiro ao Álvaro
Não tem mais onde furá

Teu olhar mata mais do que bala de carabina
Que veneno estriquinina
Que peixeira de baiano
Teu olhar mata mais que atropelamento de automóver
Mata mais que bala de revórver

sexta-feira, 12 de março de 2010

Meu Emprego


Essa é a minha vida.
Não me reconhece?
Eu sou o de roupa cinzenta.
Eu trabalho bastante.
Nem sempre o elefante fica feliz com o meu trabalho.
Mas eu dou o meu melhor.
De vez em quando, acontece alguma merda.
Daí não tem jeito, vem tudo pra cima de mim.
Algumas pessoas ja me disseram:" mas olha aonde você foi se enfiar..."
Reconheço que é um trabalho meio pesado.
Trabalhar com a cabeça, e fazer um trablho braçal ao mesmo tempo, desgasta.
As vezes eu vou pra casa fedendo de tanto trabalhar.
Meu salario não é alto, mas me mantém com esperanças de algum dia poder ter algo para mim e minha familia...

Quem me conhece sabe do que estou falando...

19.39 Saddest day - Love me like him and i will hate you like me.

terça-feira, 9 de março de 2010


Sigo palavras e busco estrelas
O que é que o mundo fez
Pra você rir assim
Pra não tocá-la, melhor nem vê-la
Como é que você pôde se perder de mim
Faz tanto frio, faz tanto tempo
Que no meu mundo algo se perdeu
Te mando beijos
Em outdoors pela avenida
E você sempre tão distraída
Passa e não vê, e não vê

Fico acordado noites inteiras
Os dias parecem não ter mais fim
E a esfinge da espera
Olhos de pedra sem pena de mim
Faz tanto frio, faz tanto tempo
Que no meu mundo algo se perdeu
Te mando beijos
Em outdoors pela avenida
Você sempre tão distraída
Passa e não vê, e não vê

Já não consigo não pensar em você
Já não consigo não pensar em você


Já não sei mais o que é estrela e o que é lua.
Acho que os dois se transformaram no raio de sol que ilumina o mundo e faz dele um lugar onde quero estar.

22.52 - Drão

quarta-feira, 3 de março de 2010

Go, esse sol é pra você!!

A lua que faz brilhar o teu olhar
Meu amor, eu fico aqui tentando encontrar
A amplitude dos sonhos
A história dos mundos
Me foge o pensamento
Na charada do tempo

A lua que faz brilhar o teu olhar
Meu amor, fico daqui tentando imaginar
Uma história, dois mundos
Lapidando no tempo
Tuas formas no vento

Vem pra cá
Ver o trem
Passageiro
Vai chegando lento
Na rosa dos ventos

Leste, Oeste, pro Norte eu vou levando
Vou jogando o som no ar
Esperando o amor chegar
Na minha vida

Leste, Oeste, pro Sul eu vou cantando
Vou jogando o som no ar
Esperando o amor chegar
Na minha vida

Ver o trem
Passageiro
Vai chegando lento
Na rosa dos ventos

Ver o trem
Passageiro
Vai chegando lento
A avisar, a anunciar
O amor


Quem disse que é fácil estarmos juntos?
Mas, mais difícil ainda, é estar longe...

Mas, enquanto ainda raiar o sol, terei a certeza de que
mesmo tantas brigar, ainda vai existir o amor!!!



Desculpa pela invasão... rs



terça-feira, 2 de março de 2010

Este é o lugar.

É aqui.
Aonde eu escrevo meus pensamentos.
Aqui nessa pagina empoeirada.
E sem o calor de uma visita.
Onde eu rasgo meu coração e sangro palavras vazias.
Onde eu escrevo palavras que jamais serão lidas.
É aqui que eu perco a esperança.
Aqui eu fecho os meus olhos e tudo fica perfeito.
Em meu paraiso, minhas lagrimas regam as flores da ternura.
Aqui me desligo do mundo
Aqui eu sou feliz.

21.34 - Só queria dormir...e acordar outra pessoa, em outro lugar em outro mundo