quinta-feira, 18 de junho de 2009

Numero 2


Tentar ser claro, com a clareza que me cega
Algo como ser flor sem perfume.
É o mesmo que tentar se bronzear
Com a Luz de um vaga-lume.

Já tentei ser como o vento
Que em silêncio traz o sabor de muito longe
Mas ao contrario só pude ser como o sol de inverno
Que só aquece quando queima

Não quero mais pensar em quanto tempo perdi
Tentando dizer aquilo que me seca a boca.
Ou desenhar aquilo q não pude imaginar
Ao fechar meus olhos ao me deitar.

Seguindo sombras, dançando com o vento
As vezes se torna dificil saber a velocidade que a vida passa
Enquanto decidimos se vale a pena ou não
Se entregar como deveriamos ao saber que é real

Estamos felizes enquanto somos nós
Não mudaremos enquanto pudermos ser apenas nós
Sem pressa de chegar a algum lugar
Só não quero ficar parado
Enquanto tudo passa diante de meus olhos
Escapando por entre meus dedos

Vidros quebrados se tornam os diamantes
De nossos sonhos, sem medo
Poderiamos nós agora ser o sol
Que aquece as frutas caídas no chão?


23.23 - ouvindo "Té" - visite também o blog que colaboro http://itsthesound.blogspot.com/

domingo, 7 de junho de 2009

Desculpa, mas estou perdido...


Queria poder arrumar as coisas instantaneamente.
Queria poder te tirar do meio da tempestade e te dar abrigo.
Queria poder fazer a festa num grande salão, desses de cinema (não no boteco).
Queria ter respostas à todas suas perguntas, e que a cada resposta minha eu recebeceria um sorriso seu.
Queria estar por perto para te proteger de qualquer cisco atrevido que queira invadir seu olho.

Emquanto isso o que eu faço?

Dou todas as minhas lágrimas por um sorriso seu.

Anata ga wagamama (não é mesmo..)
Demo aishiteru!!!