quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Dificil?


Eu gostaria de escrever só coisas alegres.
Mas é dificil fazer isso.
Ainda mais para mim, aprendi a escrever só emoções.
O que eu escrevo não deve fazer sentido a muita gente.
Confesso que, muitas vezes, nem a mim faz.
Mas se não consigo manter uma linha razoavelmente coerente nas minhas escritas, é porque os meus sentimentos também não conseguem.
Alguns dias, a vontade é de não estar vivo.
Sinto-me confuso, patético, vulneravel, tolo e acredito estar certo.
Estou doente.
Quem sabe isso não é um bom sinal.
...E tudo se repetirá.

19.35 - Pati Yang

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

E o placebo me faz tão bem


Inspira descrença.
Um sopro e a confiança volta.
A fé lhe diz: não desista do sonoho
Enquanto cospe o desanimo em seus olhos.
Os pés estão acorrentados ao seu balão de oxigênio.
Se você sangra, você está vivo.
O pessimismo não é, também, uma perspectiva de futuro?
No deserto, nos alimentamos de sombras.
Os seus pulmões já não aguentam um noovo grito por socorro.
E, enquanto aguardamos o ultimo contato,
Os nossos tesouros perdem o valor.

19.55 - o dialogo frustrado de quem não sabe o que dizer

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Carnaval...

E chegou o carnaval.
A época do ano que me deixa tão animado quanto um funeral.
E nessa época que os motoboys se sentem galãs de novela e sai agarranodo a mulherada.
Hoje foi dia de desfile no Rio de Janeiro.
Nada de Tela Quente.
O que foi bom.
Pulp Fiction no DVD sempre me faz bem.
Me sinto sem sono agora.
Culpa da congestão nasal, da febre e de minhas preocupações.
Uma sobrinha internada me tira o animo (ela só tem dois meses e ja tá a 5 dias no hospital).
Bom, pelo menos os medicos disseram que ela vai ficar bem logo.
Também não trabalho amanhã.
E o jogo termina 1x1

01.56 - Caliban - Say Hello to Tragedy