terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Será que alguma coisa mais importa?


Postei hoje usando as palavras de outra pessoa.
Isso não me satisfez, pois tenho muito a dizer.
Se ninguém for me escutar, ja não me importa.
Eu tenho o direito de ser quem sou.
E tenho consciência de quem sou e de meu caratér.
Há alguns dias eu que nossa dignidade é posta a prova.
Quando nossa palavra é questionada.
Quando nossa honestidade e respeito é questionada.
Estou vivendo um dia assim.

Já chorei, tentei me defender, tentei usar a verdade em meu favor.
Mas parece que de nada adianta.
Estou contra a parede por algo que não fiz.
Isso realmente me magoa.
Algumas doses de anti-depressivo, mas o sono não vem.
Algumas faixas do CD do John Frusciante.
Deito e olho o teto.
Lágrimas correm fácil.
Tão facil como é, para algumas pessoas, a calúnia.

Sinto gosto de sangue na boca.
Acredito que ficarei mais tranquilo se engolir do que se pintar a pia de vermelho.
O estomago doi demais.

Sentimentos se misturam nessa hora.
Se por um lado tenho a tristeza de ver como um amor pode ser envenenado,
Por outro, a certeza da inocencia me revolta por ter sido vitima de uma acusação absurda.
E em meio a isso, saber que mais uma vez estou sendo apunhalado não me faz bem.

A quantidade de incertezas é maior a cada minuto em que penso nisso.
A quantidade de certezas também.
Por exemplo, tenho a mais absoluta certeza de quem não tem coragem, mente pelas costas (essa é a verdadeira punhalada).
Estou certo também de quem você mais ama, também é capaz de lhe causar a maior dor.
E enquanto o blues toca, todos podemos ser iguais.
Mesmo não que acredite nisso.

Paz.
23.47 ainda chorando, ainda John Frusciante.

Untitled #11 (John Frusciante)


Sold a hole to a disaster
Nail the strong winds tied to a door
Know the crimes that stick in thru
Unfastened belts on your heart
And I've never been very smart
But I connect you with your shadow


23.15 - chorando muito e ouvindo John frusciante

sábado, 26 de dezembro de 2009




True Colors

Você, com seus olhos tristes,
Não fique desanimada
Oh, eu imagino
Que é difícil criar coragem.
Num mundo cheio de gente
Você pode perder a visão de tudo,
E a escuridão dentro de você
Pode fazê-la se sentir tão insignificante...

Mas eu posso ver suas cores verdadeiras
Brilhando sem parar.
Vejo suas cores verdadeiras
E é por isso que eu te amo.
Então, não tenha medo de deixar aparecer
As suas cores verdadeiras.
As cores verdadeiras são bonitas
Como um arco-íris

Então, dê um sorriso pra mim
Não fique triste, não me lembro
Quando foi a última vez que eu te vi sorrindo
Se este mundo te deixar louca
E você já não agüentar mais,
Ligue pra mim
Porque você sabe que estarei ao seu lado

Eu posso ver suas cores verdadeiras
Brilhando sem parar
Vejo suas cores verdadeiras
E é por isso que eu te amo
Então, não tenha medo de deixar aparecer
As suas cores verdadeiras.
As cores verdadeiras são bonitas
Como um arco-íris..


19.26 - Extremamente triste por algo que jamais faria mas sou culpado.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

'Rabugencia matinal ao longo do dia.'


Postando com menor frequencia.
Constantemente preocopado.
A tentativa frustrada de quem escreve no ritimo de um haicai.
A inspiração pra escrever se torna ausente.
Estou lendo mais.
Errando mais.
Aprendendo mais,
Descobrindo mais.
E sentindo cada vez menos a necessidade de algo grandioso para mudar minha vida.
Minha vida está em mudança constante.
E entre eu escrever nesse post e ele ser publicado, terá mudado mais uma vez.
Me tornarei um ser diferente.
E isso não será surpresa para ninguém.

23.21 - Weezer (the blue album)

sábado, 12 de dezembro de 2009



Eu estou cansado de ser o que você quer que eu seja.
Sentindo tão infiel, perdido debaixo da superfície.
Eu não sei o que você está esperando de mim.
Pondo isto sob a pressão
De me colocar no seu lugar.
Preso na ressaca, simplesmente preso na ressaca
Cada passo que eu dou é outro erro para você.

Eu me tornei tão insensível
Que eu não posso sentir você aqui.
Me tornei tão cansado,
Muito mais ciente.
Eu estou me tornando isso,
Tudo que eu quero fazer
É ser mais como eu
E ser menos como você.

Você não consegue ver que está me oprimindo?
Me segurando, com medo de perder o controle.
Porque tudo o que você pensou que eu seria
Desmoronou bem na sua frente.
Cada passo que eu dou é outro erro para você.
E cada segundo perdido é mais do que eu posso suportar.

E eu sei:
Que eu posso acabar falhando também.
Mas eu sei:
Você era eu quando alguém te desapontava.


22.57 - Um inútil olhando o telefone...